Vereador Rogério Rezende, de Itumbiara, é afastado por juiz após denúncia criminal

 

O juiz Alessandro Luiz de Souza, da 2ª Vara Criminal da comarca de Itumbiara, determinou o afastamento cautelar do vereador Rogério Rezende, pelo prazo de 180 dias. O parlamentar já havia sido denunciado pelo Ministério Público, após ser descoberto um esquema em que servidores do gabinete devolviam parte dos salários, para que fosse utilizado no pagamento de despesas de campanha ou no programa Ciranda da Saúde, desenvolvido na cidade.

Caso – Segundo as investigações, Rogério Rezende, que é médico credenciado ao Fundo Municipal de Saúde do Município de Itumbiara, organizou e articulou, quando tomou posse no cargo, em 2017, um esquema de devolução de parte dos salários dos servidores nomeados para seu gabinete. Dessa forma, os servidores devolviam metade da quantia que recebiam, e os valores arrecadados eram depositados em uma conta bancária, sendo que, posteriormente, passaram a ser entregues em espécie para a chefe de gabinete.

O MP também apurou a contratação de uma funcionária fantasma que devolvia os vencimentos recebidos integralmente, mesmo sem ter trabalhado. Ela assinava o ponto de frequência no escritório particular em que atua na cidade.

Para o juiz que proferiu a decisão, existem indícios suficientes da autoria do vereador nos crimes: “notadamente no fato de que a deflagração de toda a investigação decorre de delação realizada por servidora que atuou no gabinete do vereador por vários meses, corroborada pela quebra e cruzamento de dados bancários”.

O afastamento cautelar busca, segundo o magistrado, coibir a continuidade da prática ilícita e preservar a instrução processual, que, em tese, pode ser comprometida com a regular continuação do comando do gabinete pelo vereador. Além disso, já havia sido determinada, também, a indisponibilidade de bens do vereador, no montante de R$ 1.056.000.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.