Sandro Mabel anuncia investimentos de R$ 15 milhões para escolas Sesi Goiás

No último sábado (10/07), o time do Sesi Goiás conquistou 3 premiações, em um dos principais torneios de robótica do mundo, o Torneio Asia Pacific Open Championships 2021, realizado de 09 a 11 de julho, na Austrália. Um robô construído por alunos da equipe Geartech Canaã, da Escola Sesi Canaã, de Goiânia, ficou em primeiro lugar. A equipe também levou o 3° lugar do Prêmio Pensamento Criativo e Melhor Robô e Finalistas da Aliança. Por causa da Pandemia, o mundial foi todo planejado e realizado on-line. A Geartech competiu com 24 grupos do Canadá, Brasil, Austrália, China, Romênia, Alemanha, Rússia, Nigéria, México e Holanda. Os campeões garantiram vaga para a disputa após a conquista do tricampeonato na etapa brasileira, no mês de junho deste ano.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás, Sandro Mabel, celebrou a conquista e anunciou R$ 15 milhões para modernização de laboratórios e equipamentos das Escolas Sesi Goiás. “Estamos muito orgulhosos dessa garotada. Os nossos jovens estão prontos para trazer inovação e tecnologia para as nossas indústrias. Somos especialistas em formar campeões”. Sandro Mabel falou ainda sobre o engajamento das escolas frente às necessidades da indústria 4.0. “Todas as nossas escolas estão se adaptando para ser trilíngue. Os nossos alunos irão dominar o Inglês, o português (nossa língua nativa) e programação, a nova linguagem do mundo moderno”, ressaltou.

Com todas as medidas de segurança contra a Covid-19, os alunos se reuniram na escola Sesi Vila Canaã, para os três dias de competição. “Quando anunciaram que fomos campeões, foi um misto de emoções. Gritamos, choramos e comemoramos muito”, conta Vitória Monteiro, uma das oito integrantes da equipe Geartech Canaã.

A estudante Júlia Alves Martins diz que ganhar o mundial se tornou o sonho de todos os membros do time. “Foi preciso dez meses de trabalho, muito foco e determinação de todos para chegarmos até aqui. O nosso diferencial foi fazermos o nosso melhor em tudo, independente da causa e do resultado”. A estudante ressaltou que ganhar o mundial, em plena pandemia, provou que eles podem ir além do que imaginavam. “A vitória nos ajudou a mostrar que a robótica de fato é sem fronteiras”, destacou.

Para Sandro Mabel, a vitória é reflexo dos investimentos que vêm sendo feitos nos últimos anos na modernização das escolas Sesi e Senai em Goiás e na valorização do quadro docente, especialmente neste momento de pandemia da Covid-19, em que professores e técnicos tiveram de se reinventar para assegurar, também por meio virtual, a manutenção das aulas, amenizando prejuízos na vida escolar de alunos em todo o Estado.

Robô campeão

No torneio, estudantes de 14 a 18 anos, projetaram e construíram robôs capazes de realizar tarefas. Para isso, eles aprenderam a trabalhar com máquinas e circuitos – os mesmos equipamentos utilizados por grandes engenheiros. Sob orientação de adultos (técnicos e mentores), os participantes colocaram em prática princípios de engenharia, desenvolveram programação em JAVA e tiveram oportunidade de aplicar diversas habilidades nos projetos.

As competições têm como base a abordagem STEAM (acrônimo em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática), com o objetivo de incentivar jovens a pensar de forma criativa, eficiente e prática para resolver problemas. Com isso, os estudantes também têm a oportunidade de desenvolver habilidades fundamentais para o mercado de trabalho, como trabalho em equipe, planejamento, cooperação, diálogo, pesquisa e tomada de decisões.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.