Prisão de personal trainer que agrediu namorada é mantida pela Justiça

O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3º Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida e Tribunal do Júri de Goiânia, negou pedido de revogação da prisão do personal trainer, Murilo de Morais Segurado, gravado por câmeras de segurança batendo em sua namorada em agosto deste ano.

O pedido da defesa do acusado alegava que Murilo tinha bons antecedentes, sendo réu primário e se comprometia a não entrar em contato com a família da vítima. Apesar disso, o juiz considerou o material insuficiente, apresentando o fato de Murilo já ter respondido a crimes de injúria e ameaça, ambos os processos arquivados em razão burocráticas, como pontuado por Jesseir.

“Quanto ao mérito, entendo que este não é o momento oportuno para aprofundamento acerca da ocorrência do animus necandi ou animus laedendi na conduta do requerente, razão pela qual se faz necessário aguardar a formação do Ministério público, titular da ação penal”, considera o juiz na decisão.

O juiz cita as imagens divulgadas, que mostraram a vítima sendo atacada, derrubada no chão e agredida com murros e chutes e destaca agravante do crime ter sido praticado em via pública, o que, para o juiz, demonstra atitude “ousada do requerente”.

O caso

Conforme consta nos autos do processo, o personal espancou a namorada no dia 28 de agosto, tendo sido as imagens divulgadas nesta quarta-feira, 18. Segundo o relato da vítima à Polícia Civil, a veterinária, que tem a mesma idade dele, foi agredida quando eles iam para a igreja. A série de agressões só cessou com a chegada de um policial ao local, que perseguiu Murilo, que segue preso desde então.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.