Polícia Civil anuncia que agente que matou torcedor do Goiás segue no trabalho

Na tarde desta quarta-feira (6) a Delegacia-Geral da Polícia Civil do Estado de Goiás informou, por meio de uma nota, a permanência no exercício funcional do Agente de Polícia Gabriel Tortura Chaves suspeito de matar torcedor do Goiás após o jogo contra o Flamengo, em Goiânia.

O agente policial Gabriel é investigado por ter disparado o tiro que causou a morte de um torcedor no estacionamento do Estádio Serra Dourada, no último dia 31 de outubro deste ano.

Ainda conforme a nota emitida pela corporação, o policial suspeito de matar torcedor responde a inquérito policial e a sindicância disciplinar, os quais não apresentam, no momento, amparo legal para o afastamento cautelar do servidor.

Além disso, a corporação alegou que o fato aconteceu fora do horário de serviço do servidor, “em circunscrição diversa de sua lotação e não há registro de antecedentes criminais ou disciplinares em seu desfavor”.

Para finalizar, a nota emitida pela polícia civil afirma que “a medida guarda ainda consonância com a decisão judicial que concedeu ao policial liberdade provisória”.O crime aconteceu no último dia 31 de outubro quando um torcedor esmeraldino foi baleado após o jogo do Flamengo e Goiás, em Goiânia.

A vítima foi encaminhada para o Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo) em estado grave e não resistiu aos ferimentos e morreu no dia seguinte (1/11).

Segundo informações da Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO), que foi acionada para atender a ocorrência, o suspeito se tratava de um policial que estava de folga e teria ido até o Estádio Serra Dourada assistir a partida.

Helênio Rodrigues Cardoso Filho, de 30 anos, levou um tiro no peito após uma suposta discussão entre membros dos times rivais.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.