Mãe de menina que teve 60% do corpo queimado em escola de Anápolis diz que só dorme com remédios

A vida da cabeleireira Diolange Lopes Carneiro virou de cabeça para baixo desde que a filha, Annelise Lopes Andrade, de 16 anos, sofreu queimaduras em 60% do corpo durante um experimento de Química que envolvia álcool no colégio estadual Heli Alves Ferreira, em Anápolis. Em entrevista ao G1, Diolange afirma que só consegue dormir à base de remédios desde então.

“Parei de trabalhar. Tive que ser medicada para dormir. É a terceira noite que eu não durmo. Não consigo me concentrar em nada. Durmo à base de remédios”, desabafou a mãe. O acidente aconteceu na última terça (30) e a Polícia Civil ainda investiga as circunstâncias do fato. O estado geral de saúde dela é grave. Annelise está internada no Hospital de Urgências Otávio Lage (Hugol).

Antes de ser sedada, a estudante pediu um abraço à mãe. Mas o abraço não pode acontecer por causa das queimaduras. “Ela me pediu um abraço, não pude dar esse abraço nela, mas ela entendeu e eu falei para ela ficar calma para ela ser medicada”, disse Diolange também ao G1.

De acordo com a delegada que investiga o caso, Kênia Segantini, havia outros quatro alunos no local, mas nenhum se feriu. O experimento envolvia etanol e água. Usaram um isqueiro para atear fogo.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.