O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), articulou a filiação do deputado federal Alexandre Frota ao PSDB. Nesta sexta-feira, Frota assinou a ficha de filiação na presença do presidente nacional da sigla tucana, Bruno Araújo.

— Não estamos filiando Alexandre Frota para fazer oposição ao governo Bolsonaro, estamos filiando Frota para ajudar a defender o Brasil. Para ajudar esse novo Brasil, nós não precisamos estabelecer nenhum tipo de antagonismo com quem quer que seja, mas defender as boas causas — disse Doria.

Frota foi expulso do PSL, partido de Jair Bolsonaro, na terça (13), por ter feito críticas reiteradas ao presidente a a seu governo. Ele foi acusado de infidelidade partidária.  Ao acolher o deputado, Doria dá mais um sinal de distanciamento do presidente da República, após ter sido um cabo eleitoral de Bolsonaro durante a eleição de 2018. O tucano tem planos de concorrer à Presidência em 2022.

Filiação sem Alckmin

Frota, que já criticou o PSDB no passado, disse ter mudado de ideia em relação ao partido.

— É, mudei, estou aqui — respondeu.

O parlamentar já chamou o PSDB de sujo e corrupto em vídeo gravado antes da campanha eleitoral de 2018. Na gravação, Frota critica duramente o então pré-candidato Geraldo Alckmin (PSDB) por sua aliança com partidos do centrão. Diz que o tucano “está de quatro” e outras referências mais impublicáveis. Afirma que o PSDB e o PT são igualmente corruptos, é que a sigla tucana é “suja como a bunda do PT”.

Nesta sexta, Frota afirmou que não se arrepende de nada do que disse.

— Isso é coisa do passado, pra mim o PSDB começa agora.

Resistência de mulheres

Alckmin não esteve no evento de filiação, que teve a presença do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), de dirigentes locais e dois deputados federais. A militância tucana estava em menor número em comparação com atos semelhantes anteriores.

A chegada de Frota encontra resistência entre alguns tucanos, que estudam entrar com uma representação contra a filiação. A possibilidade de isso prosperar, porém, é baixa porque a presidência nacional do partido, nas mãos de Araújo, é alinhada a Doria.

A filiação do deputado também foi recebida com ressalvas na bancada feminina do PSDB. Em 2015, em entrevista na televisão, ele narrou um suposto estupro que cometeu. O caso lhe rendeu uma acusação de apologia ao estupro, que terminou arquivada.

Após a expulsão, Frota disse ter recebido convites de sete partidos — DEM, PP, MDB, PSDB, Podemos, PSD e PRB. A proximidade com Doria ajudou na decisão. O deputado se reuniu com dirigente do PSDB até as 23 horas de quinta (15) para acertar a migração.