Governos de Goiás, do DF e Federal se unem em estratégias de segurança

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Segurança Pública (SSPGO), o Governo do Distrito Federal e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça, juntos, vão implementar novas estratégias voltadas ao fortalecimento da segurança pública nos municípios que fazem parte da região do Entorno do DF.

Entre as ações projetadas está a criação, já em 2021, de um Centro Integrado das forças policiais. Detalhes do projeto foram discutidos, nesta terça-feira (24/11), por representantes das pastas que se reuniram, em Luziânia.

Titular da SSPGO, o secretário Rodney Miranda destacou as quedas importantes nos indicadores de criminalidade na região e ressaltou que o objetivo é reduzir mais e levar “as ocorrências para patamares mínimos”. É necessário, portanto, alinhar e implementar novas estratégias para atuação das forças de segurança, num trabalho integrado entre policiais de Goiás, do Distrito Federal e da União.

“Em 2020, mesmo com a pandemia, estamos conseguindo superar os índices anteriores. Mas não estamos satisfeitos. Temos que aperfeiçoar ainda mais o nosso trabalho e aumentar, principalmente aqui na região do Entorno, a integração tanto com o DF quanto com o governo federal”, enfatizou.

O secretário Nacional de Segurança Pública, coronel Carlos Paim, falou sobre o papel da segurança para o crescimento de outras áreas. “A segurança pública forte na região contribui para o fortalecimento da economia e de outras questões que são afetas à ordem pública. Então, nesse sentido, o Governo de Goiás sinalizou o interesse de investir em novas estratégias, e nós estamos aqui para poder ouvir e junto a eles, buscar soluções para melhorar a qualidade de vida dos brasileiros que vivem nessa região”, afirmou.

De acordo com o coronel, a Senasp poderá contribuir com aporte financeiro e também na criação de políticas de segurança para o Entorno de Brasília. “Teremos condições de saber, por exemplo, se é necessário participar com orçamento para construção de alguma unidade policial, bombeiro. Hoje, dentro do Ministério da Justiça e Segurança Pública, temos uma secretaria importante, de operações integradas, que pode contribuir muito nesse viés da integração de inteligência, fomentar operações entre as polícias”, contou. “Nós da Senasp temos também condição de contribuir e fazer políticas e programas de fortalecimento para essa região.”

Segundo o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres, a integração entre as forças policiais do DF e de Goiás é algo que já vem sendo feito, mas que a criação de um Centro de Operações Integrado deverá potencializar os resultados. “Hoje a gente já se ajuda demais na região. Muitas vezes uma perseguição em Goiás acaba dentro do DF e é levada a uma delegacia aqui e vice versa. Mas precisamos avançar, formalizar isso, criar estrutura física, logística, estrutura de recursos humanos, para a gente atuar nessa região e poder fazer um trabalho melhor”, defendeu.

Além do trabalho conjunto, o Governo de Goiás estuda a adoção de outras estratégias de segurança para aumentar o combate aos crimes violentos em toda região. “Temos um projeto, em que estamos trabalhando, de trazer um Comando de Missões Especiais, a exemplo do que temos em Goiânia e região, fazer uma base aqui”, pontuou o titular da SSPGO, Rodney Miranda.

A ideia, explicou o secretário goiano, é levar para a região, além da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) e do Batalhão de Choque, o Grupamento de Intervenção Rápida Ostensiva (Giro), o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e o Grupo de Rádio Patrulhamento Aéreo (Graer). Assim, formaria o Comando de Missões Especiais Norte. “Temos intenção futuramente de montar uma Central de Inteligência DF/Goiás, funcionando também aqui no Entorno, para atender a todas as demandas, sem limite de fronteira de Estado”, informou.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *