Goiânia registra primeiro caso da variante Ômicron

Goiânia – A capital goiana registrou, na quarta-feira (29/12), o primeiro caso da variante Ômicron. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), desta quinta-feira (30), trata-se de uma mulher de 40 anos, que não tem histórico de viagem.

O primeiro registro foi confirmado na quarta-feira (29/12). Ainda segundo a saúde municipal, todas as pessoas que tiveram contato com a mulher estão sendo observadas. Além disso, informou que aguarda por parte da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás(SES-GO), detalhes sobre outros possíveis três casos confirmados de infecção da variante Ômicron na capital.

Variante Ômicron em Aparecida de Goiânia
A Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia (SMS) informou, no dia 27 de dezembro, que identificou só no último fim de semana 18 novos casos de covid-19 provocados pela variante Ômicron, totalizando 22 registros em moradores da cidade, e constatou a transmissão comunitária da linhagem no município.

O secretário de Saúde Alessandro Magalhães explica que a transmissão comunitária existe quando há casos de transmissão do vírus na população entre pessoas que não estiveram nos países com registro da doença nem tiveram contato com quem esteve. Em Aparecida há um caso assim.

A superintendente de Vigilância em Saúde de Aparecida, Daniela Ribeiro, informa que, dentre os 22 pacientes, que são pessoas de 17 a 82 anos de idade, 11 já tiveram alta e 11 estão em isolamento domiciliar sendo acompanhados pela Central de Telemedicina. Já no que diz respeito ao vínculo, direto ou indireto, com os dois primeiros casos identificados em Aparecida, que eram de duas pessoas que tiveram contato com um casal de missionários vindos de Luanda (Capital de Angola, País do Continente Africano) e que foram a um encontro religioso em Goiânia, 17 têm vínculo, 1 não tem e 4 estão sob investigação. Apenas um paciente dentre os 22 precisou ser internado. Trata-se de um homem de 50 anos, diabético, que ficou 5 dias internado em uma enfermaria, mas já teve alta médica.

De acordo com a investigação feita pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) de Aparecida, “observando o cenário da última semana e sabendo da alta capacidade de transmissão da Ômicron, constatamos que já temos a transmissão comunitária no município,” destaca a chefe do Centro, Giselle Caetano Souza.

O CIEVS de Aparecida, que funciona 24h por dia e atua também como elo de ligação com o Estado e o Ministério da Saúde (MS) no monitoramento dos casos de covid-19 e nos sistemas de informações, bem como na elaboração de alertas epidemiológicos, dentre outras atribuições, já investigou, desde 12 de dezembro até este domingo, 26, 36 casos de covid-19 que foram sequenciados. Deste total veio a confirmação das 22 pessoas com a variante.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.