Capitão do Corpo de Bombeiros condenado a 15 anos por receber propina

Um capitão do Corpo de Bombeiros de Goiás foi condenado a 15 anos de prisão após ser acusado de receber propina para atuar na aprovação de projetos de liberação de prédios e empreendimentos comerciais. O crime teria sido praticado pelo capitão no ano de 2012, quando o mesmo era chefe da Subseção de Proteção contra Incêndio, Explosão e Pânico (Sescip) do 2° Batalhão de Goiânia; e também no 9º Batalhão Bombeiro Militar de Caldas Novas, onde o capitão também atuava.

O capitão Fernando de Lima Jardim foi acusado de beneficiar uma engenheira na aprovação de projetos. De 6 de de março de 2012 a 9 de julho de 2012, o capitão, contrariando as normas de tramitação de projetos e inspeções, teria inserido, movimentado e aprovado, sem nenhuma aprovação do Decip/Codec e sem cursar o Capear, diretamente na unidade em que estava lotado, seis projetos, todos eles de interesse da engenheira Denise Massuda. Massuda atuava na elaboração de projetos contra incêndio, os quais passam, necessariamente, pela aprovação do Corpo de Bombeiros.

Conforme decisão do juiz que julgou o caso, em outra situação o capitão liberou, em apenas dois dias, um projeto de uma clínica de imagem em desconformidade com as normas técnicas de construções e reformas . A liberação teria sido feira por ele mesmo o capitão não possuindo o curso de Análise de Projetos e Edificações e Áreas de Risco, atribuição necessária para fazê-lo.

Apenas em 2012, entre os meses de abril e dezembro, o capitão teria recebido R$ 5.716 para aprovar projeto também com irregularidades para uma empresária. Ele recebeu de 0,50 a 0,75 por metro quadrado, depositados em sua conta-corrente. Ainda cabe recurso para a condenação.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.