Avestruz Master: Jerson Júnior, preso em Goiânia, vendeu aves que não existiam e enganou 40 mil pessoas

O empresário Jerson Maciel Júnior foi preso em Goiânia nesta segunda-feira (16) e se encontra em cela na Casa de Prisão Provisória (CPP). Ele foi condenado por crimes relacionados ao golpe aplicado pela Avestruz Master que lesou milhares de pessoas.

Fundado em Goiânia em 1998, o grupo Avestruz Master oferecia contratos de compra e venda de avestruzes com compromisso de recompra dos animais. Assim, quem investisse em uma ave com 18 meses de vida, ganharia um retorno de 10% sobre a aplicação até o mês em que a avestruz fosse readquirida pela empresa.

O lucro seria assegurado pela suposta exportação da carne. Mas o negócio propriamente dito jamais chegou a ir para frente: em sete anos de operação, nenhuma ave foi abatida. Na teoria, a Avestruz Master teria comercializado mais de 600 mil animais. Na prática, só possuía 38 mil.

Apostando antes na propaganda do que nas aves em si, o grupo conquistou 40.000 investidores no Brasil, 30.000 deles só no estado de Goiás. Para engordar a base da pirâmide, foram gastos 4 milhões de reais em publicidade em 2004 – e apenas 100.000 reais em ração para as avestruzes.

Quando a pirâmide ruiu em 2005, a empresa fechou as portas e seus sócios fugiram para o Paraguai. Em 2010, a Justiça Federal condenou os dois filhos e o genro do dono da Avestruz Master a indenizar os investidores em 100 milhões de reais. Jerson Maciel, controlador do grupo, morreu dois anos antes da decisão.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.