Aparecida: prefeitura aumenta ações contra maus-tratos de animais

Fiscalizações para combater maus-tratos contra animais estão sendo realizadas pela Prefeitura de Aparecida de Goiânia. A ação integrada entra a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma), Defesa Civil, Zoonoses, Guarda Civil Municipal (GCM), Polícia Civil e a ONG Anjos Verdes atendeu denúncia no Setor Parque América nesta quinta-feira (30).

Segundo o secretário de Meio Ambiente, Cláudio Everson, o objetivo foi averiguar a procedência da denúncia, orientando e notificando os responsáveis a tomar medidas cabíveis para coibir a prática de maus-tratos contra os animais, conforme estabelece a Lei Municipal 3.456, sancionada no dia 15 de fevereiro de 2019.

A legislação estabelece sanções e penalidades administrativas para as pessoas que cometem essas ações. “Desde que a lei entrou em vigor nossas equipes têm intensificado os trabalhos de fiscalização em combate às práticas de maus-tratos com os nossos bichos. Estamos atuando rotineiramente, cuidando e pedindo a ajuda da população na fiscalização em defesa dos animais”, destacou o secretário.

De acordo com a denúncia, cavalos usados em carrinhos de reciclagem, estavam recebendo maus-tratos pelos seus donos e sendo mortos à pauladas quando não atendiam mais as expectativas para os trabalhos. Ao chegar no local, as equipes constataram que os animais estavam saudáveis, mas vivendo em local proibido e em condições precárias. “Todos os quatro cavalos encontrados estão com boa hidratação, mas o local que estão vivendo é totalmente inapropriado, não contém nenhum abrigo, ficam expostos ao sol e chuva amarrados, além de comerem mal e não terem água para beber à vontade”, explicou o veterinário da Zoonoses de Aparecida, Fabrini Zacarias.

O proprietário dos cavalos foi notificado a retirar os animais do local e transferi-los para um ambiente mais propício. “Além de estarem dentro da área urbana, o que é proibido dentro da legislação vigente, a propriedade privada não pertence ao responsável dos animais. O responsável terá o prazo de quatro dias para fazer a transferência dos cavalos e os adequamentos necessários para a criação dos bichos”, reiterou o secretário Cláudio Everson.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.